InícioPortalCalendárioFAQTemploRegistrar-seConectar-se
Você está fora do Acampamento, entre para aproveitar nosso Acampamento

Compartilhe|

Teste de Legado - Kevin Wayne.

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo
AutorMensagem
Hécate
Deusa Menor
Deusa Menor
avatar

Mensagens : 22
Pontos : 21146
Reputação : 0
Data de inscrição : 06/03/2012
Idade : 23

Ficha de Personagem
Nível: ∞
Vida Vida:
999999/999999  (999999/999999)
Energia Energia:
999999/999999  (999999/999999)

MensagemAssunto: Teste de Legado - Kevin Wayne. Qua Ago 22, 2012 3:34 pm

O garoto estava em seu chalé quando seu pai apareceu rapidamente e disse:

-Kevin Wayne, tenho um desafio enorme para você.

-O que aconteceu pai?

-Hécate vou raptada, suspeitam que tenha sido a ordem de Gaia, e você precisa salvá-la a todo custo, terá perigos, então seja rápido.

O semideus ia comentar algo, mas o Deus já tinha ido embora.


Regras:
48 horas pra postar
Leve tudo menos mascote
Faça um bom post, lembre que é missão de Legado
Boa sorte, e a Deusa se encontra perto da entrada do Olimpo
Enfrente 100 monstros, e quando chegar ao final, enfrente a maioria deles.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Kevin Wayne
Filhos de Hades
Filhos de Hades
avatar

Mensagens : 52
Pontos : 20041
Reputação : 100
Data de inscrição : 27/06/2012

Ficha de Personagem
Nível: 21
Vida Vida:
1100/1100  (1100/1100)
Energia Energia:
1100/1100  (1100/1100)

MensagemAssunto: Re: Teste de Legado - Kevin Wayne. Sex Ago 24, 2012 2:01 pm


Kevin Diamond


Era um dia calmo no Acampamento Colina Imperial, calmo até demais para a vida de um semideus como eu, ainda mais filho de Hades e vestal de Héstia. Essas responsabilidades quase me custaram à vida, várias vezes; uma vez tive que resgatar o Arco de Ártemis, e tive que lutar com Éris, a deusa da discórdia; em outra missão tive que resgatar uma joia de Afrodite, e quase saí morto, se não fosse pelo meu autômato WarMachine eu não estaria aqui; enfim, foram várias aventuras.
Após tanto pensar decidi sair um pouco de meu chalé para arejar a cabeça, porém sou surpreendido por um vulto negro. Olhei para este vulto e vi um homem pálido e alto, que trajava algumas vestes negras, logo reconheci como Hades, meu pai. Visualizei-o de baixo á cima e percebi sua preocupação, então digo:

- Olá pai, á quanto tempo!
- Olá Kevin, e não acho isso.
- O que? Faz algum tempo que não o vejo.
- Mas eu o vejo, sempre estou do seu lado.
- É fácil para o senhor falar, já que é um deus.
- Sim, mas isso não vem ao caso agora.
- Tudo bem. O que faz por aqui?
- Trago informações sobre Hécate. Fui informado que ela foi raptada, e creio que foi algum dos exércitos de Gaia.
- Hum, vejo que terei que resgatá-la, certo?
- Sim, mas tome cuidado, este parece ser um exército altamente treinado e numeroso, pois Hécate não é uma deusa que seja fácil de capturar.
- Tem indícios de onde ela esteja?
- O lugar mais provável é que ela esteja em New York.
- New York? Lar do Olimpo? Por que não procuram por ela?
- Eles já tentaram, só que não podem se intrometer diretamente em batalhas deste tipo, por isso pediram minha ajuda.
- E o senhor veio recorrer logo á mim?
- Sim, você é um dos meus filhos mais experientes, e possui uma ligação com Hécate.
- Ligação com Hécate? Do que você está dizendo?
- Você vai descobrir mais para frente. Boa sorte meu filho.
- Mas pai...


Quando ia terminar minha frase não consegui, pois Hades havia desaparecido em uma nuvem de fumaça negra. E mais uma vez meu pai havia me deixado sozinho, como sempre, sabia que ele tinha muito serviço e que governar o submundo era difícil, mas ele era um pai tão ausente...
Retiro o pensamento de minha cabeça e começo á me organizar para a missão. Pego meu anel que se transformava em uma Espada de Fogo Gélido, ela possuía três botões, uma que transformava em uma espada de fogo, outra em espada congelante e outra que invocava dois Gigantes de Fogo, este era um item essencial em minha missão, junto com meu outro anel que se transformava em um arco mágico. Depois de pegar minhas armas, procurei pelas minhas armaduras. Coloco a minha Réplica do Elmo das Trevas na cabeça, que permitia ficar oculto por certo tempo, meu Escudo do Lar, que me permitia acalmar de certa forma os oponentes e por fim meu Bracelete de Diamante, que quando ativado iria cobrir meu braço por uma grossa camada do mesmo material. Após isso, procuro pelos meus itens. Em meu pescoço coloco o Colar da Desgraça, que permitia invocar quatro esqueletos; em uma mochila coloco o Bastão do Basilisco, que se transformava em um basilisco de 2 metros. Com isso, estava pronto para uma grande missão. Então saio do chalé.
Olho para fora e vejo meus dois mascotes parados, olhando para o céu. Não sabia se levava ou não eles. Pensei rápido e decidi não os levar, pois esta missão provavelmente resultaria na morte deles. Vou em direção á Casa Mestre e deixo um recado á Héracles, que dizia:

“Lord Héracles,
Hades me mandou em uma missão, na qual terei que resgatar Hécate.

Atenciosamente, Kevin.”


Após deixar esta carta, rumo em direção á fronteira do Acampamento. Ao chegar lá, paro e olho para trás, dou um suspiro e me viro novamente. Começo minha caminha rumo á New York com o pé direito, literalmente.

Minha caminhada em silêncio durou pouco, pois depois de 5 km caminhando me deparo com algumas criaturas que não estavam lá para conversa. Aquele pequeno grupo de monstros consistia em 5 Harpias e 2 Grifos. Pego meu anel/arco e o transformo na arma, miro uma flecha em cada monstro, visando acertar o peito de cada um, por sorte duas flechas eliminou a raça de duas Harpias. Os monstros, vendo suas companheiras sendo mortas, se enfureceram e partiram para um ataque frontal em minha direção; quando se aproximaram, eu me desviei dos ataques dos Grifos, mas as Harpias foram rápidas e conseguiram fazer um grande corte com suas garras em meu braço esquerdo, coloco minha mão no ferimento e a retiro, vendo o sangue vermelho de um semideus. Controlo minha raiva, e então dou um salto buscando acertar com o pé a cara de uma das Harpias, em seguida puxo duas flechas sônicas e miro ao lado dos Grifos para atordoa-los. Enquanto as duas Harpias restante estavam tentando me acertar com suas garras, eu pulo para trás e com uma grande concentração crio uma cópia feita de sombras minha. Corro para o lado oposto, enquanto as duas inimigas lutavam com meu clone. Preparo duas flechas de fogo, miro as Harpias e atiro nelas. Sobrando os dois Grifos, guardo o arco e pego minha espada/anel, transformo-a na arma e faço cortes no ar para me preparar. Vendo que os Grifos ainda estavam tontos, corro na direção deles. Ao me aproximar dou um salto e uso a cabeça de um deles como apoio para o pé e me impulsiono mais ainda, para um salto maior e um ataque melhor ainda. A espada estava em chamas, então quando caio, cravo ela no dorso lateral de um dos grifos, retiro-a e faço um corte no mesmo, em seguida chutando-o e matando-o. Por fim, o Grifo restante voltou a sanidade e estava pronto para me atacar, que até preparou um ataque com suas asas, por sorte eu me defendi com o Escudo, então com uma estratégia ousada corro na direção do monstro e no momento certo retiro o escudo da frente e cravo a espada no interior do bicho, matando-o.
Após esta batalha, eu já havia me cansado e comecei á sentir um frio em minha barriga, pois com 7 monstros eu havia tido trabalho, agora imagina com cerca de 50. Tiro este pensamento de minha cabeça e sento-me em baixo de uma árvore com sombras, e uso estas sombras para me curar do ferimento causado pelas Harpias.
Depois de curado, levanto-me e me ajeito para prosseguir com a missão. Então caminho novamente em busca da deusa da magia.

Algumas horas se passaram e eu já estava exausto e havia chegado a Arizona, que pelos meus cálculos deu aproximadamente 400 km. Parei para descansar e passar a noite ali mesmo. Uso Geocinese e crio um pequeno buraco, grande o suficiente para caber á mim nele, cubro então com sombras usando a Umbrocinese.

No dia seguinte, acordo com um pouco de dores nas costas. Procuro por algum sinal de monstros e vejo que estava limpo o lugar, para eu sair. Porém, sou surpreendido por monstros que estavam soterrados na terra ao meu lado. Com um grande susto vejo 5 basiliscos de 2 metros de comprimento. Desta vez iria usar um pouco de força bruta para poupar o desgaste da lâmina de minha espada. Pego um deles pelo pescoço e tento não ser mordido, somente par não sentir dor, pois eu era imune á venenos. Com a mão que segurava o basilisco, comecei á esquentar, matando-o. Os outros monstros sentiram receio de vir até mim, porém não tinham outra escolha a não ser lutar. Dois deles usaram seu corpo para se enrolar e me derrubar. No chão crio uma bola de fogo negro e outra de sombras, então as junto em uma só e arremesso no meio dos monstros, matando todos. Fico até feliz por acabar logo este embate. Então volto á me concentrar na missão
Andei alguns metros e parei para pensar:

“A distância entre Los Angeles e New York era de aproximadamente 4.400 km, e como eu só havia andado 400 km em um único dia, essa caminhada irá demorar aproximadamente 11 dias. Se eu tivesse alguma coisa que me levasse até New York em alguns instantes.”

Ao dizer isso, sombras começaram á me rodear começando á me pegar e engolir. Senti medo naquele instante e apaguei.

Ao acordar estava em um tipo de floresta, com várias árvores e matos. Levantei-me e perguntei:

- Onde estou?
- Você está em New York.
– Disse uma voz atrás de mim, que rapidamente fez me arrepiar e olhar para trás.
- Pai? – Disse, me surpreendendo.
- Sim, você usou uma das habilidades dos filhos de Hades, Viagem das Sombras.
- Sério? Mas eu não tinha intenção.
- Ainda bem que você usou isso.
- Por quê?
- Você queria andar 4.000 km a pé?
- Não.
- Então... Agora, tome cuidado com o exército de Gaia. Adeus.
- Adeus.


Vi meu pai desaparecer novamente, me deixando á sós com meu pensamento. Pensei se Hécate ainda estava consciente ou se já estava quase indo ao Tártaro, foi aí que lembrei... Tártaro... Se algum dos monstros que estavam no exército de Gaia estivesse relacionado ao submundo, eu poderia pressentir sua energia obscura.
Fechei meus olhos, tentei concentrar minha energia em minha mente e tentar expandi-la em busca de algum sinal de monstro, como um radar. Ao ser lançado essa energia, recebi um sinal que uma enorme quantidade de monstros, não só ctônicos, estavam próximos ao Olimpo. Senti um arrepio em minha nuca, porque se estavam próximo ao Olimpo, e os deuses não destruíam este exército, é porque eles eram muito poderosos.
Este pensamento saiu de minha cabeça quando sou acertado por um porrete de madeira em minha cabeça, me fazendo cair. Olho para trás, ainda no chão, e vejo um pequeno grupo de sete ciclopes. Um deles, que presumi sendo o líder, disse:

- Você é Kevin, o filho de Hades que veio para resgatar a deusa da magia?
- Sim, sou eu mesmo. O que querem de mim?
- Queremos a sua alma.
- Vai ficar querendo, pois ela pertence somente á mim.
- É o que veremos.


Então o mesmo pegou seu porrete e tentou me acertar, por sorte eu me arrastei para trás. Em seguida me levantei, procurei uma árvore próxima e fui até ela, com as sombras comecei a manipula-las em espiral, formando um pequeno vórtice negro, no qual arremessei em direção aos monstros, matando dois deles. Um dos sobreviventes conseguiu me acertar e me jogar até a árvore, quase quebrando minha costela. Contorcendo-me de dor, eles começaram á me bater cruelmente; em um surto de raiva, dei um grito que chegou á assustar os monstros e ao mesmo tempo uma aura sombria começou á emanar de mim, fazendo-me ficar diferente. Olhei para meus braços, e os vi aumentando de tamanho e pelos começaram á crescer, pelos vermelhos e negros, além de meus músculos também aumentarem, não só de meu braço, mas também de minha perna, meu peitoral, especificamente meu corpo inteiro estava passando por mudanças. Em alguns instantes eu já não era mais o mesmo, eu havia me transformado em um... Cão Infernal, de 3 metros.
Vendo isso como um lado bom, uso para eliminar o grupo dos ciclopes, primeiramente usando minha pata como um grande ataque, esmagando alguns. Sobrando somente o líder, o pego pelo pescoço com meus dentes e arranco a cabeça fora.
Aos poucos voltava ao meu estado normal. Após me transformar em um semideus novamente, caio no chão de canseira e decido usar isso somente em situações perigosas. Então continuo minha busca por Hécate.

Algumas horas se passaram e eu alcancei o Empire State Building, entro no hall de entrada e vejo um porteiro resmungando, então digo:

- 600º andar.
- Não temos esse andar.
– Respondeu ele.
- Não quero saber, eu vim aqui em busca da deusa da magia, se você não me deixar entrar por bem, eu vou entrar por mal. Você quem decide.
- Entre. Odeio meu trabalho, estou precisando de um aumento.
– Resmungou o porteiro.
- Ótimo.

Entro no elevador do prédio e aperto o botão, visível somente por semideuses. No mesmo instante começa á se movimentar em uma grande velocidade, fazendo com que eu até caia quando chego ao destino.
Saio do elevador e vejo um grande e lindo lugar, com vários edifícios feito de ouro, jardins com flores encantadoras e algumas ninfas correndo... Ninfas correndo? Estranhei essa atitude, pois geralmente elas ficavam paradas se divertindo, então procurei por algum sinal estranho, até que ouvi barulhos de armas mais á frente. Corri para ver o que era, e em um lugar vasto e plano vi um numeroso exército de monstros, aproximadamente tinham 80 monstros. Senti um arrepio em meu corpo inteiro, estava em frente á uma situação de extremo perigo, apenas fiquei em silêncio e peguei meu arco, caso precisasse.
Olhei atentamente para ver todos os monstros, e o exército consistia em 10 monstros de 8 espécies, eram:

- 10 Ciclopes
- 10 Grifos
- 10 Manticores
- 10 Quimeras
- 10 Benevolentes
- 10 Ventis
- 10 Leões de Neméia
- 10 Gigantes


Era um exército extremamente forte, no qual era impossível de derrotar sozinho... Mas eu não estava sozinho, não depois de invocar meu próprio exército.
Pego meu colar da desgraça e o arremesso-o no chão, fazendo se transformar em 4 esqueletos com espadas e escudos, simples. Cravo meu bastão do basilisco no chão, e no mesmo instante se transforma em um basilisco de 2 metros. Cravo também minha espada, pressionada no botão da espada invocadora, e em alguns instantes estavam dois gigantes de fogo, na minha frente. Coloco a mão no chão e me concentro, fazendo serem invocadas sombras que ao tempo tomaram forma e se definiram, formando as seguintes almas: Nero, o imperador maldito (Filho de Vulcano); Patrócles, o primo de Aquiles (Filho de Zeus); Belerofonte e seu Pégaso (Filho de Poseidon); Will Solace, um herói do Acampamento Meio-Sangue (Filho de Apolo); Hilo, um dos mais fortes guerreiros da Grécia Antiga (Filho de Héracles); e Luke Castellan, portador da Maldição de Aquiles (Filho de Hermes). Com mais concentração, crio uma porta no chão, que ao abrir surge o guardião do inferno e o animal sagrado de Hades, meu pai... O Cérberus. No total davam trezes pessoas em meu exército. Treze contra oitenta não era um número muito bom, mas já ajudava. Então olhei para cada um deles e disse:

- Vocês estão aqui para me servir, esta é uma batalha de extrema importância, na qual temos que derrotar o exército inimigo e resgatar a deusa da magia, Hécate. Vou dividir os serviços. Esqueletos peguem as Benevolentes; Patrócles e Belerofonte cuidem das Quimeras e das Manticores; Basilisco e Will cuidem dos Leões de Neméia; Luke, você está encarregado de derrotar os Ventis; Nero tome conta dos Grifos; Hilo pegue os Ciclopes; enquanto isso, eu e Cérberus cuidamos dos Gigantes. Prontos? Um por todos, todos por um.

Após passar as ordens, todos partiram para o ataque.


ESQUELETOS X BENEVOLENTES:


Os esqueletos se agruparam para um verdadeiro massacre. As benevolentes davam rasantes, mas eles eram mais ágeis e desviavam, e quando podiam cortavam as asas delas. Por fim, duas ao mesmo tempo conseguiram derrotar um dos esqueletos, causando um desequilíbrio emocional para os mesmos, porém não desistiram e contra-atacaram. Uma das benevolentes deu um rasante, o esqueleto a parou pela cabeça, girou-a e acertou duas outras, matando-as. Mais outro esqueleto morre. Sobrava só 4 benevolentes e dois esqueletos. Os esqueletos bolaram um plano, em que um se abaixava e o outro o usava como apoio para um salto. Este plano deu certo, porém resultou na morte do mesmo. Restando somente uma benevolente e um esqueleto, eles se atacaram ao mesmo tempo, sendo mortos pelas mãos inimigas.


PATRÓCLES/BELEROFONTE X QUIMERAS/MANTICORES:


Os dois semideuses partiram para o ataque, dois contra vinte não era uma boa estratégia, mas um era filho de Poseidon e outro de Zeus, ambos os filhos de dois dos três grandes deuses.
Patrócles já havia criado duas esferas elétricas, enquanto Belerofonte voava em seu Pégaso. O filho de Poseidon jorrou uma grande quantidade de água nas Mantícores, molhando-as intensamente, em seguida o filho de Zeus arremessou sua esfera de energia elétrica nas mesmas, conduzindo uma grande quantidade de eletricidade e eliminando a maioria dos monstros. Enquanto isso uma das Quimeras alçou voo e derrubou Belerofonte do cavalo alado, em seguida matando o animal. O semideus se enfureceu e jorrou uma grande quantidade de água nas Quimeras, em seguida usou sua habilidade e as congelou. Por fim decepou a cabeça de cada uma. Agora só restava quatro Manticores, e Patrócles cuidava delas. Como o chão era feito de ouro maciço, ele era um metal de transição, então usou sua habilidade e jogou uma grande carga elétrica no chão, fazendo reverter a polaridade, em seguida pediu que Belerofonte jogasse uma quantidade de água suficiente para preencher todo o terreno, por fim jogou eletricidade novamente, fazendo uma sequência de polaridades negativas, até eletrocutar todos os monstros e mata-los. Porém ao derrotarem foram surpreendidos por um Gigante que estava batalhando com Kevin e foram mortos, novamente.


BASILISCO/WILL X LEÕES DE NEMÉIA:

A serpente cavou um túnel e desapareceu, enquanto o semideus com seu arco jogou várias flechas bombas nos monstros, atordoando-os. Em seguida o basilisco apareceu e começou á entrar na boca de cada um dos Leões, já que era o único ponto fraco. Porém ela foi mastigada após matar seis deles. Will desesperado apenas jogou algumas flechas, mas não conseguiu matar os Leões e acabou sendo morto.

LUKE X VENTIS:


Luke correu muito rápido e os Ventis mal enxergaram seus movimentos, então com um golpe só com suas adagas conseguiu eliminar dois monstros, porém eles se transformaram em Ventis outra vez. Luke estranhou isso, mas usou sua habilidade para fazer suas 3 adagas lutarem por si só, enquanto elas derrotavam os monstros ele tentava separar suas moléculas de ar para não se recomporem. Conseguiu derrotar todos fazendo somente isso, e toda vez que ia ataca-lo ele somente desviava e chutava suas partes baixas.


NERO X GRIFOS:


O ex-imperador romano que ateou fogo em seu próprio Império, olhou para os Grifos com um olhar maquiavélico, provavelmente pensando em como iria assa-los no churrasco. Então criou uma bola de fogo em sua mão e jogou no chão, já que o ouro sendo um metal era ótimo condutor de calor, e como o mesmo era imune á isso ele não iria sentir dor. Continuou jorrando fogo, até que os Grifos sentiram suas patas queimarem, alguns ficando distraído, um ótimo momento para um ataque. E foi isso que Nero fez, correndo em direção aos monstros, saltou em um e começou á esmurra-lo até a morte. Em outro não repetiu a mesma ação, já que o grifo estava assustado, seria ótimo de controlar. Então ele usou sua força e colocou o braço em seu pescoço, controlando e fazendo com que se chocasse com outros Grifos, sem antes pular e jorrar uma torrente de fogo. Por fim, usou sua habilidade de controlar o metal e controlou o chão abaixo dele, fazendo um lado aumentar e o outro diminuir, imitando o movimento das placas tectônicas, ele criou um “terremoto”, então jorrou mais fogo ainda e fez com que este fosse espalhado de acordo com a Piro Dinâmica do mesmo, levando então á uma chuva de fogo para os lados e matando todos os Grifos. Porém com um surto psicótico ele se matou, provando o que os historiadores diziam... Que o imperador era louco.


HILO X CICLOPES:


O heráclida correu em direção aos ciclopes e com um grande golpe derrubou alguns, fazendo com que virassem pó. Então usou uma de suas habilidades, e começou á correr á uma velocidade de 200 km/h, envenenou sua arma e transformou-a em um martelo. Quando se aproximava dos ciclopes, davam-lhe uma martelada na cabeça, matando-os.


KEVIN/CÉRBERUS X GIGANTES:


Eu havia visto cada batalha do meu exército, e fiquei contente com o resultado. Vendo então os Leões vivos, usei minha habilidade de Pirocinese e Umbrocinese e as misturei, formando uma grande bomba de espectro, então atirei na direção deles e corri, por fim cravando minha espada no interior da boca de cada um, matando-os.
Em seguida, subi em Cérberus e disse:

- Tá na hora do bicho pegar.

O guardião deu um grande latido, com cada cabeça e começou á correr. Ativo minha espada de fogo e meu bracelete de diamante, fazendo com que uma camada do mesmo material envolva meu braço direito. Vendo que já estávamos nos aproximando dos gigantes, pedi que ao chegar ele lançasse uma rajada intensa de fogo negro na direção dos monstros.
Ao fazer isso, controlo esta rajada e a moldo formando um vortex de fogo negro, uso minha habilidade de pirocinese e crio outro vortex de fogo normal, com minha habilidade de fogo grego crio mais um vortex, outro vortex feito de sombras e por fim mais um último vortex feito de areia. Com total concentração eu uno todos em um só vortex, resultando em uma mistura de fogo intensamente poderoso com camadas espectrais e algumas pedras com fogo. Tento molda-lo e acoplar em meu braço de diamante, já que era um material resistente, iria absorver o calor e me proteger. Ao acoplar, faço um grande ataque e miro em todos os gigantes, isso era tão forte que dizimou por completo os gigantes, mas me deixou muito cansado e acabou se desfazendo todas as minhas invocações. Deitei no chão, sozinho e exausto, até que pressenti um tremor de terra, me arrastei para ver o que era e vi um vulto negro com algo em suas mãos, parecia uma mulher. Coloquei a mão na frente de meus olhos para ver melhor e enxerguei um grande gigante, com aproximadamente 4 metros, tentei ver melhor ainda e percebi que o que estava em suas mãos era a deusa Hécate. Tentei de tudo para me levantar, a última coisa que vi foi o monstro vindo em minha direção, depois tudo ficou negro...

Quando acordei, estava com os braços amarrados e ao meu lado estava Hécate. Perguntei:

- Onde estamos?
- Estamos na Toca do Gigante.
- Toca do Gigante? Nunca ouvi falar.
- Ninguém nunca ouviu falar, somente os deuses sabem disso.
- Mas o que fazemos aqui?
- Estamos presos para servir Gaia.
- Mas eu não quero.
- Não tem que querer, ou você serve á ela, ou morre tentando fugir.
- Prefiro morrer tentando. Eu não tenho medo da morte.
- Você é um garoto muito corajoso, até lhe ajudaria, mas não consigo usar minha magia, o gigante absorveu-a.
- Não se preocupe, irei dar um jeito nisso.


Ainda não sabendo como escapar pensei em todas as estratégias que utilizei, percebi que já havia me recuperado daquele ataque contra os gigantes, então uso minha habilidade de Pirocinese e incendeio meu braço, fazendo com que a corda se queime. Passo a mão em meu pulso e pego a espada, por fim dou um corte nas cordas que prendiam Hécate. Ela me agradeceu, e pedi que ela ficasse por ali. Então sai daquela sala e vi um grande gigante em pé, olhando para as estrelas. Disse que podíamos sair dali, mas precisávamos derrotar o gigante. Então com minha espada gritei:

- Hey! Gigante feioso.
- Quem disse isso?
– Perguntou o monstro.
- Fui eu, aqui em baixo.
- Oras se não é Kevin, o grande filho de Hades.
– Disse o gigante olhando para baixo.
- Sim. Como sabe?
- Eu sei de tudo. E creio que você quer me matar, certo?
- Você está certo mais uma vez.
- Eu sei, e você não irá conseguir.
- Isso é o que veremos.


Com um grande sobressalto, começo á correr com a espada em chamas, ao me aproximar finjo um ataque, mas somente giro para o lado e cravo a espada na coxa do mesmo. Ele geme de dor, então bate com seu punho no chão, fazendo-me cair, por fim ele me pega e começa á me apertar, eu apenas cravo a espada de gelo na mão, fazendo-a congelar e cair. Dou um breve sorriso, então pego meu arco mágico e arremesso uma flecha de ar, terra, fogo e água, unindo-as e jogando na cabeça do monstro, explodindo-a. Fico feliz por ter conseguido derrotar e cumprir minha missão, agora saio com Hécate do cativeiro e a levo até o Olimpo.
Me despeço dela e uso a habilidade que aprendi com meu pai, Viagem das Sombras, e volto ao Acampamento Colina Imperial, exausto.


Thanks, Lollipop @ Sugaravatars

Voltar ao Topo Ir em baixo
Hécate
Deusa Menor
Deusa Menor
avatar

Mensagens : 22
Pontos : 21146
Reputação : 0
Data de inscrição : 06/03/2012
Idade : 23

Ficha de Personagem
Nível: ∞
Vida Vida:
999999/999999  (999999/999999)
Energia Energia:
999999/999999  (999999/999999)

MensagemAssunto: Re: Teste de Legado - Kevin Wayne. Ter Ago 28, 2012 4:27 pm

Parabéns fofo, conseguiu passar em meu teste
Prêmios: subida de 2 leveis
2000 dracmas

Pentagrama Invertido: Se transforma em um Cajado, aumenta a força de ataques mágicos.

Poderes ativos


Materialização

Projeção de Energia

Invocação

Magia da Água

Magia do Ar


Poderes Passivos:


Resistência Mágica

Língua de Lobos

Imunidade

Perícia com Cajados

Bençãos Mágicas

Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Teste de Legado - Kevin Wayne.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Teste de Legado - Kevin Wayne.

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo
Página 1 de 1

Tópicos similares

-
» [Teste Teórico] John Cilan
» Teste para filhos de Poseidon
» Teste para filhos de Hades
» Teste para filhos de Zeus
» ~~~~Teste Gay~~~~

Mensagens predefinidas :
Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Acampamento Colina Imperial :: América :: Estados Unidos da América :: New York-
Eu vi em : http://campcolinaimperialv3.forumeiros.com/privmsg?folder=inbox&mode=read&p=122#ixzz1yulAq5rZ